O Caso Caixa e a Cultura da Classe Média Brasileira

A ânsia pelo conhecimento está tomando o lugar da cultura na formação dos profissionais que compõe a classe média? Sim. Conclusão triste, porém verdadeira. E chego a ela através da crônica de Cláudia Laitano na ZH do último sábado (24/09). Nela, Cláudia traz ao debate a desastrosa campanha de publicidade dos 150 anos da Caixa Econômica Federal, em que um senhor branco representa nosso maior escritor: Machado de Assis.

Uma falha grave da agência de publicidade e maior ainda da própria Caixa que aprovou o trabalho. E ficam as perguntas: como uma agência de publicidade, seu pessoal de vanguarda, todos “ligados”, comete esse erro? Como profissionais de marketing da Caixa não possuem conhecimento cultural mínimo para saber a cor da pele de Machado? A resposta com a própria Cláudia: a diminuição da importância da literatura para a classe média. E isso impacta diretamente na formação dos profissionais das áreas de MKT e PP (objeto de análise neste texto), além de outras, obviamente, que formam a classe média brasileira.

Para estas áreas do conhecimento, a verdadeira cultura está em MBA´s, Cursos de Pós-Graduação e eventos afins. Confundem conhecimentos específicos com formação cultural! Assim, afastam-se da prática da leitura de grandes autores de nossa literatura, mantendo apenas a leitura de autores que geram conteúdo em suas atuações. E, particularmente, posso afirmar que há escritores com textos de qualidade no mínimo duvidosa nessas áreas, o que resulta em um modelo deficiente de referências. Prova disso é a pesquisa que o Núcleo Brasileiro de Estágios (NUBE) apresentou (link bit.ly/oOhStY): “Estudantes de comunicação escrevem mal e perdem para os da área de exatas”.

Desta forma, vamos formando profissionais de comunicação que se sustentam apenas pela doutrina de conteúdos de sua formação. E a bagagem cultural, destes, é alimentada com autores do momento, assim como músicos, artistas em geral que estejam em mídias por eles acessadas. E se você não estiver por dentro destas novidades é considerado OUT, ou seja, ultrapassado e defasado.

Enfim, estamos passando por uma época em que se criou uma dicotomia entre conteúdo e arte, parecendo que a cultura é vazia e não é capaz de proporcionar conhecimentos. E afirmo isso como um profissional da área de marketing! E as poucas exceções servem apenas para confirmar a regra. Finalizo com a última frase de Cláudia na crônica acima citada: dinheiro é bom e vai ajudar nosso país a crescer, mas só a cultura civiliza – e permanece.

Anúncios

About Daniel Mello

Coordenador Comercial na Infoar - Mais Continental; Consultor em Marketing Direto e MKT de Relacionamento; Professor de Língua Portuguesa. Um profissional dedicado aos encantos da área comercial e aos mistérios da Comunicação Escrita e Produção de Textos! Um cara sempre em busca de aprendizado. E pronto para dividir expectativas, anseios e um pouquinho de conteúdo! ;)
Esta entrada foi publicada em Marketing e marcada com a tag , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s