Uma Nobre e Complicada Relação

As necessidades do mercado são muitas, assim como as ofertas de soluções. Não há dia em que não haja anúncios de quem queira vender ou anúncios de quem queira comprar. Então, se os blocos estão na rua o que falta para todo mundo dançar essa marchinha e “pegar geral”?

Primeiro, nem todo mundo sabe dançar, ou ainda, sabe dançar aquela música, aquele estilo musical. Ou seja, a oferta pode não estar nada alinhada à necessidade do mercado. Segundo, a necessidade do cliente pode não estar bem definida, de modo que não encontrará resposta a seu anseio em nenhum fornecedor. Será o famoso “nada serve, nada me atende”. E esses casos nós sabemos muito bem onde vai dar: “montarei uma estrutura interna para tocar o projeto exatamente como eu quero. Pois eu é que entendo disso”.

Além desses, há, de ambas as partes, cliente e fornecedor, alguns que partem para a oferta do serviço/produto ou para a oferta de determinada necessidade com, diríamos, segundas intenções. É aquele fornecedor que lança algo tão inovador que ele mesmo sabe que não tem como dar certo. E que pegará carona no apelo de ser uma novidade para levantar o maior número possível de vendas no menor espaço de tempo. Assim, terá capitalizado um bom valor enquanto ainda pode justificar para seus atuais clientes o porquê do projeto não funcionar. São fugazes! E exemplos não faltam desse “modelo de negócio”.

Por parte do cliente, há aqueles que anunciam uma necessidade como se fosse uma galinha dos ovos de ouro. Para ele, o fornecedor, chamado por ele de parceiro, que assumir seu projeto estará milionário com as comissões do negócio em questão de poucos meses, normalmente sem que o cliente invista nada, no máximo gorjetas. É aquele discurso “quem estiver comigo nesse projeto vai ganhar muita grana”. Coincidentemente, esses clientes que oferecem essa necessidade são aqueles que já estão bem consolidados financeiramente e fazem uso desse seu “poder”, além de se apresentar como a pessoa mais influente do mundo. E muitos convencem.

Vários fornecedores caem nesse conto do vigário por inexperiência. Ora, se o negócio é tão formidável, tem um retorno tão certo quanto a existência do sol, por que eles próprios não investem nesse projeto, já que conhecem do negócio e possuem recursos para tanto? E ainda pode ser pior: dizem que não possuem expertise, não possuem experiência nessa área para fazer o projeto acontecer. Mas quando não encontram quem aceite esse devaneio de investir pesado em algo que é uma aposta (e aposta de outros), passam a investir na tal equipe interna. Ah, agora, em questão de semanas o conhecimento e a experiência chegaram naquela pessoa! Talvez por osmose… Mas quando o fornecedor, em sua proposta solicita um investimento para as despesas básicas do projeto, não é atendido. O nome disso tem 11 letras e todos sabemos…

Ainda, não queira iniciar uma relação, seja você fornecedor ou cliente, com o propósito de EU GANHO, ELE NÃO ME IMPORTA. Ou ainda: EU GANHO, ELE PERDE; EU GANHO, TALVEZ ELE GANHE. Como fornecedor devemos estar aptos para atender aquilo que realmente dominamos, dentro da necessidade real do cliente e por um retorno financeiro justo. Se não for para atendermos estas necessidades, estaremos enganando o mercado. Como cliente, não adianta empurrar o problema para o fornecedor. Ele é seu! Nada se resolve sem investimento! Você pode até encontrar quem aceite seu “desafio”, resolver seu pepino (travestido de oferta tentadora, apenas para os outros) sem cobrar o adequado, ou até mesmo investir em seu projeto no seu lugar. Porém, durará tão pouco que o problema estará ainda muito quente quando voltar para sua mão.

Portanto, não há relação satisfatória que não seja GANHA-GANHA. Com o acesso facilitado a tantas informações, o mercado já sabe, ou saberá identificar quem é realmente parceiro. Ou quem é sanguessuga. Quais são os projetos viáveis e os inviáveis. Então, transparência sempre!

Anúncios

About Daniel Mello

Coordenador Comercial na Infoar - Mais Continental; Consultor em Marketing Direto e MKT de Relacionamento; Professor de Língua Portuguesa. Um profissional dedicado aos encantos da área comercial e aos mistérios da Comunicação Escrita e Produção de Textos! Um cara sempre em busca de aprendizado. E pronto para dividir expectativas, anseios e um pouquinho de conteúdo! ;)
Esta entrada foi publicada em Marketing e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s